Brumado Notícias

Brumado Notícias

Resultado da busca pela categoria "economia"

Com dólar mais baixo, gasto de brasileiros no exterior sobe 75%

24 Mar 2017 - 16h30


Com dólar mais baixo, gasto de brasileiros no exterior sobe 75%
Foto: Joe Raedle/Getty Images

Os gastos de brasileiros no exterior somaram 1,360 bilhão de dólares em fevereiro deste ano, informou o Banco Central (BC) nesta sexta-feira (24). O resultado é 61,7% superior ao registrado no mesmo período do ano passado, quando os brasileiros desembolsaram 841 milhões de dólares. Nos dois primeiros meses do ano, as despesas ficaram em 2,939 bilhões de dólares, 74,8% acima dos gastos registrados no primeiro bimestre de 2016 (1,681 bilhão de dólares). Já as receitas de estrangeiros no Brasil ficaram em 535 milhões de dólares em fevereiro e em 1,196 bilhão de dólares nos dois meses do ano, contra 599 milhões de dólares e 1,249 bilhão de dólares, respectivamente em iguais períodos de 2016. De acordo com a Veja, com esses resultados das despesas de brasileiros no exterior e as receitas de estrangeiros no Brasil, a conta de viagens internacionais ficou negativa em 824 milhões de dólares no mês passado, e em 1,743 bilhão de dólares no primeiro bimestre. A projeção do Banco Central para o saldo negativo da conta de viagens este ano subiu de 10,5 bilhões de dólares para 12,5 bilhões de dólares.

Preço do gás de cozinha vai subir a partir da próxima semana em Brumado

23 Mar 2017 - 14h00


Preço do gás de cozinha vai subir a partir da próxima semana em Brumado
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

O aumento de quase 10% no valor do Gás Liquefeito (GLP), popular gás de cozinha, autorizado pela Petrobrás e que já começou a ser praticado nos grandes centros, deve começar a ser reajustado em Brumado a partir da próxima semana. O site Brumado Notícias pesquisou que, desde o dia 21 de janeiro, as revendedoras do município decidiram por uma promoção conjunta, repassando o botijão de 13 kg a R$ 45 ao consumidor final, porém o valor de revenda para o município é de R$ 50. Nesse cenário, as revendedoras estão sendo obrigadas a interromper o período promocional que seria estendido até o dia 31 de março. A base de cálculo para o aumento também se dará sobre o valor anterior à promoção, podendo chegar a R$ 55.

Governo vê rombo de R$ 58 bilhões e cogita aumentar impostos

23 Mar 2017 - 12h30


Governo vê rombo de R$ 58 bilhões e cogita aumentar impostos
Foto: Adriano Machado/Reuters

Os ministérios da Fazenda e do Planejamento anunciaram nesta quarta-feira a existência de um rombo de 58,168 bilhões de reais no Orçamento. Esse é o montante que falta para o cumprimento da meta de déficit fiscal, de até 139 bilhões de reais. O valor efetivo do corte no Orçamento, entretanto, será divulgado na terça-feira. A expectativa era que o governo anunciasse hoje o valor do corte no Orçamento. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que o governo espera decisões judiciais que podem chegar a 18 bilhões de reais em favor da União para definir o tamanho do corte. Segundo ele, medidas sobre aumento de tributos – que também podem reduzir o tamanho do corte – serão igualmente anunciadas na próxima semana. Segundo Meirelles, o corte final será bem menor que a deficiência financeira apontada hoje. “O contingenciamento final será substancialmente menor que  58,2 bilhões de reais”, prometeu. De acordo com a Agência Brasil, o ministro afirmou que o governo estuda medidas compensatórias para cobrir a deficiência. “Vamos aguardar mais alguns dias para termos segurança maior para decidirmos sobre o contingenciamento e sobre aumento de tributos, se necessário, para compensar essa diferença”, completou.

Câmara aprova o texto da terceirização

23 Mar 2017 - 11h30


Câmara aprova o texto da terceirização
Foto: Divulgação

A Câmara dos Deputados aprovou na quarta-feira (22) por 231 votos a favor, 188 contra e 8 abstenções o texto-base do projeto de lei que autoriza o trabalho terceirizado de forma irrestrita para qualquer tipo de atividade. De acordo com a proposta, a empresa terceirizada será responsável por contratar, remunerar e dirigir os trabalhadores; o tempo de duração do trabalho temporário passa de até três meses para até 180 dias, consecutivos ou não; e após o término do contrato, o trabalhador temporário só poderá prestar novamente o mesmo tipo de serviço à empresa após esperar três meses. O projeto seguirá para sanção presidencial. Enviada ao Congresso pelo governo Fernando Henrique Cardoso em 1998, a proposta já havia sido aprovada pela Câmara e, ao passar pelo Senado, sofreu alterações. De volta à Câmara, o texto aguardava desde 2002 pela análise final dos deputados. Em 2015, a Câmara aprovou um outro projeto, com o mesmo teor, durante a gestão do ex-presidente da Casa Eduardo Cunha (PMDB-RJ). O texto foi enviado para análise do Senado, mas ainda não foi votado. Atualmente, não há legislação específica para regular a terceirização. A proposta é criticada pela Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), que vê a liberação da terceirização irrestrita como inconstitucional.

Governo reduz previsão de crescimento do PIB para 0,5% em 2017

22 Mar 2017 - 16h30


Governo reduz previsão de crescimento do PIB para 0,5% em 2017
Foto:Paulo Whitaker/Reuters

O Ministério da Fazenda reduziu sua previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) a 0,5%, metade da estimativa anterior (1%). Para 2018, a pasta projetou expansão da atividade em 2,5%. A projeção para inflação ficou abaixo do centro da meta, com alta de 4,3% do IPCA neste ano – a previsão anterior era de crescimento de 4,7%. Para 2018, a estimativa para inflação é de 4,5%. A última revisão dos números havia sido feita pelo governo no fim de novembro, mas sem menção a 2018. Os novos dados para 2017, contudo, não foram atualizados para a Lei Orçamentária Anual (LOA), que ainda conta com estimativa crescimento da atividade de 1,6% neste ano. De acordo com a Veja/Reuters, agora, a expectativa para o PIB neste ano passou a ficar em linha com a alta do PIB de 0,48% prevista pelo mercado, segundo pesquisa Focus mais recente, realizada pelo Banco Central junto a diversos economistas. 

Exportação de carne brasileira desaba após operação da Polícia Federal

22 Mar 2017 - 15h30


Exportação de carne brasileira desaba após operação da Polícia Federal
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

Dados do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC) apontam para uma queda brusca nas exportações de carne brasileira desde a deflagração da Operação Carne Fraca. De acordo com a pasta, o Brasil exportou US$ 74 mil do produto na terça-feira (21). Antes da operação da Polícia Federal, o valor médio das exportações em março, por dia útil, foi bem maior: US$ 60 milhões. Na segunda (20), o valor das exportações de carne foi de US$ 60,5 milhões. Na sexta (17), dia em que a operação da PF foi deflagrada, foi de US$ 53,9 milhões. De acordo com o ministério, ao longo do mês de março, antes da operação, o valor diário das exportações variou de US$ 39 milhões a US$ 90 milhões. Também nesta quarta-feira (22), o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, admitiu que já há sinais de prejuízo no mercado de carnes por causa da Operação Carne Fraca. Segundo ele, alguns frigoríficos brasileiros já deixaram de comprar bovinos de produtores devido a incertezas sobre a possibilidade de venda para o mercado externo. “Eu conversei ontem bastante com produtores e têm sinais sim [de prejuízo]. Os frigoríficos, com a incerteza com relação à China e União Europeia, pararam de comprar bovinos”, disse ao G1 o ministro da Agricultura.

Michel Temer exclui servidores estaduais e municipais de reforma da previdência

22 Mar 2017 - 11h30


Michel Temer exclui servidores estaduais e municipais de reforma da previdência
Foto: Ueslei Marcelino/Reuters

O presidente Michel Temer anunciou nesta terça-feira (21) que a reforma da previdência não valerá para servidores estaduais e municipais. Ele divulgou a alteração no projeto ao lado de ministros, líderes do governo no Senado e na Câmara, além dos deputados Carlos Marun (PMDB-MS) e Arthur Maia (PPS), presidente e relator, respectivamente, da Comissão Especial da Reforma da Previdência. “Surgiu com grande força [na reunião] a ideia de que deveríamos obedecer a autonomia dos estados. Reforma da Previdência é para os servidores federais” afirmou. Até então, o projeto de reforma da previdência excluía apenas militares das Forças Armadas, bombeiros e policiais militares. Temer ressaltou que cabe aos estados reformular a previdência de seus servidores. “Vários Estados já providenciaram sua reformulação previdenciária. Seria uma relativa invasão de competência e não queremos neste momento levar adiante”, disse. 

Petrobras tem prejuízo de R$ 14,8 bilhões em 2016

22 Mar 2017 - 09h30


Petrobras tem prejuízo de R$ 14,8 bilhões em 2016
Foto: Reprodução

A Petrobras teve prejuízo líquido de R$ 14,824 bilhões em 2016, informou a estatal na terça-feira (21). Trata-se do 3º ano consecutivo de resultados negativos. Em 2015, a estatal registrou prejuízo recorde de R$ 34,8 bilhões. Em 2014, as perdas somaram R$ 21,6 bilhões. Em comunicado, a Petrobras atribuiu o novo prejuízo “em função, principalmente, do impairment [reavaliação] de ativos e de investimentos em coligadas, no valor total de R$ 20.891 milhões”. De acordo com o G1, a estatal conseguiu reduzir em 20% o valor do seu endividamento. No final de 2016, a dívida líquida da Petrobras somou R$ 314,12 bilhões, ante R$ 392 bilhões no final de 2015. Em dólares, a dívida recuou 4%, passando de US$ 100,4 bilhões para US$ 96,38 bilhões. “A empresa ainda tem uma dívida importante e nosso trabalho precisa continuar para reduzirmos a nossa dívida a patamares razoáveis”, disse Pedro Parente, presidente da empresa, após a divulgação do balanço.

PMDB faz propaganda na TV sem Michel Temer sobre a Previdência

21 Mar 2017 - 10h30


PMDB faz propaganda na TV sem Michel Temer sobre a Previdência
Foto: Reprodução

O PMDB iniciou na última segunda-feira (20), 15 inserções na TV com foco em medidas econômicas tomadas pelo governo Michel Temer e dirá que a reforma da Previdência é “sem dúvida a de maior importância”. Sem fala nem aparição do presidente, umas das peças publicitárias, a que o blog teve acesso, diz que, sem a reforma, o sistema pode entrar em “colapso”. “A reforma não é uma imposição, é uma necessidade. E o presidente não vai fugir a ela”, diz a inserção.  O marqueteiro Elsinho Mouco, responsável pelo conteúdo, nega que Temer tenha evitado gravar para fugir de vaias ou das “panelas”. “Ele vai gravar para o programa do PMDB no final do mês, e o programa tem dez minutos”, disse.  As inserções também contam com Romero Jucá, senador e presidente do PMDB, e também Eunicio Oliveira. Presidente do Congresso, Eunicio diz que “reformar” é a palavra de ordem do Congresso em 2017.  O mote da peça é “o presidente certo na hora certa”.

Mercado espera inflação de 4,15% neste ano

20 Mar 2017 - 16h30


Mercado espera inflação de 4,15% neste ano
Foto: Ricardo Matsukawa/Veja

Economistas do mercado financeiro reduziram a expectativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), principal medidor da inflação brasileira, pela segunda semana consecutiva, para 2017. A previsão do indicador passou de 4,19%, na última semana, para 4,15%, nesta. Para 2018, a estimativa segue em 4,50% pela 34ª semana seguida. Em relação à previsão do crescimento econômico, medido pelo Produto Interno Bruto (PIB), os analistas aumentaram em 0,1 ponto percentual, passando de 2,4% para 2,5%, em 2018. De acordo com o Boletim Focus, do Banco Central, divulgado nesta segunda-feira, para este ano, a estimativa se manteve em alta de 0,48%. A expectativa para a Selic deste ano também se manteve em 9% nesta semana, de acordo com os especialistas do mercado financeiro ouvidos pelo Focus. Para o fim de 2018, passou de 8,75% para 8,50% ao ano. A taxa básica de juros está atualmente em 12,25% ao ano. De acordo com a Veja, a taxa de câmbio para este ano passou de 3,30 reais para 3,29 reais para este ano. Para o fechamento de 2018, a estimativa dos economistas para o dólar se manteve em 3,40 reais pela quarta semana seguida.

Orçamento deve ter supercorte de até R$ 65 bilhões

20 Mar 2017 - 15h30


Orçamento deve ter supercorte de até R$ 65 bilhões
Foto: Marcos Santos/USP Imagens

Por exigência do Tribunal de Contas da União (TCU), o governo deverá ser obrigado a anunciar um “supercorte” inicial do Orçamento e calibrar o valor ao longo do ano de acordo com um cronograma de medidas de aumento de receita. Os números ainda preliminares apontam que a tesourada pode ficar numa faixa entre R$ 60 bilhões e R$ 65 bilhões, a depender das decisões que serão tomadas nos próximos dois dias. Nenhuma medida poderá ser incluída no relatório bimestral de receitas e despesas, previsto para o dia 22, sem antes ter sido efetivamente aprovada. O relatório dará o tamanho do corte. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que retornou da Alemanha, onde participou da reunião do G-20, vai tomar pé das propostas para levar ao presidente Michel Temer, a quem cabe bater o martelo. O contingenciamento deverá estar vinculado a duas listas de receitas que são previstas, mas ainda incertas. Uma de aumento de alíquota de tributos e outra de receitas esperadas com privatizações, venda de ativos e concessões. À medida que elas forem sendo adotadas, como no caso de venda de ativos, o governo vai reduzindo o corte inicialmente previsto. De acordo com a Época Negócios, dessa forma, a possibilidade de uma elevação de tributos, como está sendo desenhada pela equipe econômica, só poderá entrar na conta para atenuar o corte do Orçamento se a medida for adotada até a data do envio ao Congresso do relatório bimestral. Medidas de aumento de receita que forem estabelecidas por meio de projeto de lei só poderão ser incluídas para reduzir o tamanho do corte depois que a proposta estiver aprovada no Congresso.

Proposta de reforma da Previdência recebe 164 emendas

18 Mar 2017 - 11h30


Proposta de reforma da Previdência recebe 164 emendas
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 287, que reformula as regras da Previdência, recebeu 164 emendas que pedem mudanças, retirada ou inclusão de artigos, muitas delas tratando do mesmo tema. O prazo para apresentação de emendas se encerrou às 18h30 desta sexta-feira. De acordo com a Veja, no entanto, só 131 emendas seguirão tramitando na Câmara dos Deputados. É que 33 não conseguiram o número regimental suficiente de assinaturas para seguirem tramitando – cada deputado tem que reunir 171 assinaturas para sua emenda. A maior parte das emendas pede que não haja mudanças nas regras da aposentadoria rural. A proposta prevê que a contribuição do trabalhador rural passe a ser individual e obrigatória. A base contributiva e a alíquota devem ser menores do que a dos demais trabalhadores. Eles terão uma idade mínima de 65 anos para aposentadoria, com 25 anos de contribuição. Na regra atual, a aposentadoria é garantida para os trabalhadores rurais que contribuíram ou não com a Previdência.

Petrobras aumenta preço do gás de cozinha

18 Mar 2017 - 09h30


Petrobras aumenta preço do gás de cozinha
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

Dezoito meses após o último reajuste, a Petrobras anunciou na sexta (17) aumento no preço do gás de botijão. A alta será de 9,8% e começa a vigorar na próxima terça-feira (21). De acordo com a estatal, se o repasse for integral, o preço do produto na revenda subirá 3,1%, ou R$ 1,76 por botijão. O reajuste vale apenas para o gás vendido em botijões de 13 quilos, mais usados por residências. Outros vasilhames maiores e o gás vendido a granel não terão mudança de preços.  O último reajuste realizado pela Petrobras ocorreu em 1º de setembro de 2015. Na ocasião, a alta foi de 11%. O preço do gás de botijão permaneceu congelado entre 2002 e 2015, como parte de uma política para controlar a inflação. “Como a lei brasileira garante liberdade de preços no mercado de combustíveis e derivados, as revisões feitas pela Petrobras nas refinarias podem ou não se refletir no preço final ao consumidor. Isso dependerá de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores”, disse a estatal.

Após quase dois anos de queda, emprego formal cresce no país

17 Mar 2017 - 08h30


Após quase dois anos de queda, emprego formal cresce no país
Foto: Reprodução

A economia brasileira voltou a gerar empregos com carteira assinada em fevereiro. No mês passado, as contratações superaram as demissões em 35.612 mil vagas. Foi a primeira vez em 22 meses que o país registrou abertura de postos de trabalho. O resultado foi comemorado pelo governo. O anúncio foi feito na quinta-feira (16) pelo presidente Michel Temer (PMDB) e pelo ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, no Palácio no Planalto - nos últimos meses, a divulgação vinha sendo feita pelo ministério apenas via nota em sua página na internet. Temer disse que os dados do emprego são “boas novas” e um sinal da retomada do crescimento da economia brasileira. Segundo o presidente, esses sinais são “a cada dia, mais claros”. De acordo com o G1, ele ressaltou que outras medidas, como a queda dos juros e a injeção na economia de bilhões de reais com a liberação de saque de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), vão contribuir para a reativação da economia. Os números do emprego divulgado têm como base o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). A criação das 35.612 vagas de emprego é resultado de 1.250.831 admissões e de 1.215.219 demissões em fevereiro. No acumulado do primeiro bimestre de 2017, porém, o país registra fechamento de 5.475 postos de trabalho.

Magnesita registra lucro de US$ 133,2 milhões em 2016

16 Mar 2017 - 17h30


Magnesita registra lucro de US$ 133,2 milhões em 2016
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

A Magnesita Refratários S.A registrou lucro de US$ 133,2 milhões no ano de 2016. O EBITDA da companhia foi de US$ 151,4 milhões no período, 4% acima do ano anterior. A margem EBITDA alcançou 15,5% - ante 14,3% no mesmo período de 2015. A receita líquida atingiu US$ 974,5 milhões no ano. A melhora na rentabilidade em 2016 é fruto de uma série de iniciativas implementadas ao longo dos últimos anos, como rígido controle de custos, otimização na área de suprimentos, além do foco maior em mercados com margens adequadas e sustentáveis. 

Governo avalia aumentar impostos sobre combustíveis

16 Mar 2017 - 16h30


Governo avalia aumentar impostos sobre combustíveis
Foto: Ricardo Matsukawa

A elevação de PIS e Cofins sobre a gasolina e diesel é a alternativa de alta de tributo considerada mais viável pela área técnica do governo para ajudar no cumprimento da meta fiscal deste ano. A medida pode garantir uma arrecadação extra de 3 bilhões de reais  em 2017. Apesar da promessa do presidente Michel Temer (PMDB) de não aumentar a carga tributária no seu governo, a alta de tributos está na mesa de discussão da equipe econômica como uma das opções para ajudar a tapar o buraco de 40 bilhões de reais nas contas do governo. De acordo com a Veja, é o que falta de receita para fechar o Orçamento dentro da meta fiscal, que prevê déficit de 139 bilhões de reais nas contas.

Governo arrecada R$ 3,72 bilhões com leilão de quatro aeroportos

16 Mar 2017 - 14h30


Governo arrecada R$ 3,72 bilhões com leilão de quatro aeroportos
Foto: Luisa Melo/G1

O leilão dos aeroportos de Fortaleza (CE), Salvador (BA), Florianópolis (SC) e Porto Alegre (RS) garantiu ao governo uma arrecadação de R$ 3,72 bilhões em todo o período da concessão, cerca de 23% acima do valor esperado pelo governo de R$ 3,014 bilhões. O ágio está bem abaixo dos valores praticados nas primeiras rodadas de concessão de aeroportos. Os lances mínimos foram fixados com base em 25% do valor da outorga e esses valores terão que ser pagos no momento da assinatura do contrato. O governo garantiu uma arrecadação para esta etapa no valor de R$ 1,46 bilhão, o que representa um ágio de quase 100% sobre o mínimo estabelecido pelo edital (R$ 753 milhões). De acordo com o G1, três grupos estrangeiros - a francesa Vinci, a alemã Fraport e a suíça Zurich - levaram as concessões dos quatro aeroportos. Ao contrário dos leilões anteriores, eles entraram na disputa sem sócios no Brasil. Nenhum grupo brasileiro apresentou proposta pelos quatro aeroportos.

Deputado Luciano Ribeiro atribui queda da indústria baiana à insensibilidade do governo do Estado

16 Mar 2017 - 12h30


Deputado Luciano Ribeiro atribui queda da indústria baiana à insensibilidade do governo do Estado
Foto: Gisele Quintão

A indústria baiana caiu 15,5% e teve o pior desempenho do país. Enquanto Pernambuco cresceu 14,1%, o país cresceu apenas 1,4% no setor. Em seu pronunciamento na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Luciano Ribeiro (DEM) atribuiu os prejuízos à política do governo do Estado, que em 2016 enviou para a casa legislativa, em regime de urgência, projeto de lei, aprovado como lei, que retirava incentivos fiscais punindo o setor. “A oposição, no momento da votação, usando do bom senso, votou contra o projeto que visivelmente prejudicaria a economia baiana, tiraria o emprego dos baianos e migraria com os empregos para Pernambuco. Em menos de um ano, já temos o pior desempenho da indústria no Brasil. Uma atitude insensível e sem senso”, lamentou Ribeiro.

Após 2 anos de altas, taxa média do cheque especial cai pela 2ª vez

15 Mar 2017 - 12h30

Os juros médios do cheque especial para pessoa física registrou leve queda em fevereiro, segundo dados divulgados nesta terça-feira (14) pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). O percentual foi de 12,46% ao mês para 12,4%. Foi a segunda queda consecutiva após dois anos seguidos de altas. Já a taxa de média juros do cartão de crédito voltou a subir, de 15,12% em janeiro para 15,16% em fevereiro, após recuar nos dois meses anteriores.

Sebrae vai ser ‘avalista’ de pequenas empresas

15 Mar 2017 - 09h30


Sebrae vai ser ‘avalista’ de pequenas empresas
Foto: Eliana Rodrigues/Veja

O Serviço Brasileiro de Apoio às Pequenas e Micro Empresas (Sebrae) vai ser avalista dos empréstimos solicitados por pequenas e microempresas. O programa Senhor Orientador, do Sebrae, pretende facilitar a concessão de crédito para 50 mil pequenas empresas. O presidente da entidade, Guilherme Afif Domingos, diz que esse público não consegue pegar dinheiro em banco hoje por falta de garantias reais de pagamento. “O gerente de banco está engessado na hora de dar crédito. Quem dá crédito não é ele, é o computador. E se não estiver dentro do perfil, não pode dar”, disse. “Hoje, 83% das micro e pequenas empresas não têm acesso ao crédito do sistema bancário”. De acordo com a Veja, para reduzir o risco de calote e, por consequência das taxas de juros do empréstimo, o Sebrae vai ser avalista dos pequenos e microempresários. Esse aval será dado por meio do Fundo de Aval do Sebrae, que conta com 780 milhões de reais. “Mesmo que a empresa não tenha bens reais para dar em garantia, o Sebrae vai dar o aval”, afirma.

Conta de luz: Aneel devolverá valores cobrados a mais

15 Mar 2017 - 08h30


Conta de luz: Aneel devolverá valores cobrados a mais
Foto: Getty Images

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) vai devolver imediatamente os valores cobrados a mais na conta de luz dos consumidores para o pagamento da usina de energia nuclear Angra 3. O anúncio foi feito pelo diretor-geral da agência, Romeu Rufino. De acordo com ele, o processo será julgado no dia 28 de março e deve reduzir as tarifas de clientes de todo o país. A empresa admitiu o erro na última sexta-feira, que levou à cobrança indevida de 1,8 bilhão de reais. “Foi um equívoco”, afirmou Rufino, ressaltando que os valores já foram devolvidos para os consumidores cujas distribuidoras já passaram por reajuste tarifário, caso da Energisa Borborema e da Light. O processo da Aneel previa que a cobrança seria devolvida na data de aniversário do reajuste de cada empresa. Para os clientes da Eletropaulo, por exemplo, seria apenas em julho. Mas a diretoria da Aneel decidiu mudar o procedimento e corrigi-lo o mais rapidamente possível. “Em vez de aguardar, faremos de uma vez só”, disse Rufino. “É um processo bastante trabalhoso, mas, excepcionalmente, vamos instruir o processo para retificar a tarifa de todas as concessionárias e orientar a pronta devolução daquilo que foi arrecadado com base em uma previsão errada”. As informações são da Veja.

Financiamento de veículos novos cai 13% e de usados sobe 8,5%

13 Mar 2017 - 17h30


Financiamento de veículos novos cai 13% e de usados sobe 8,5%
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

O financiamento de veículos novos caiu 12,9% em fevereiro, na comparação com 1 ano atrás, segundo dados da Cetip, que opera a base integrada de dados que reúne o cadastro das restrições financeiras de veículos oferecidos como garantia em operações de crédito. No mês passado, foram vendidos 117.322 carros, motos e caminhões zero quilômetro financiados. A venda de usados, que representou 66% do total dos financiamentos de veículos em fevereiro, aumentou 8,5%, somando 233.923 unidades. No acumulado do ano, o volume de financiamentos de veículos novos foi 11,2% menor do que o registrado em janeiro e fevereiro de 2016. E a venda de usados nessa modalidade cresceu 15%, na mesma comparação. De acordo com o G1, o ano de 2016 fechou com baixa tanto no financiamento de novos quanto no de usados, na comparação com os números de janeiro a dezembro do ano anterior. Para os zero quilômetro, a queda foi de 25%; para os usados, de 2%.

Nova regra do cartão restringe pagamento mínimo a um mês

13 Mar 2017 - 08h30


Nova regra do cartão restringe pagamento mínimo a um mês
Foto: Reprodução

As regras para o uso do rotativo do cartão de crédito vão mudar. A partir do dia 3 de abril, os clientes terão restrições para fazer o pagamento mínimo da fatura e acessar o crédito rotativo. A determinação foi divulgada pelo Banco Central no dia 26 de janeiro, e tem gerado dúvidas entre os consumidores. A principal mudança é que, ao contrário do que acontece atualmente, quem optar por fazer o pagamento mínimo da fatura não poderá fazer essa opção por vários meses consecutivos. As novas regras foram criadas para coibir o uso do rotativo e obrigar os bancos a oferecer uma solução de parcelamento para o cartão de crédito com juros mais baratos. De acordo com o G1, a taxa de juro do rotativo encerrou o ano passado em 484,6% ao ano, segundo dados do Banco Central que considera a média de todas as instituições financeiras.

Caixa libera R$ 3,8 bi do FGTS no 1º dia de saques

12 Mar 2017 - 08h30


Caixa libera R$ 3,8 bi do FGTS no 1º dia de saques
Foto: Ricardo Matsukawa/Veja

No primeiro dia de saques das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), nesta sexta-feira, 1, 4 milhão de trabalhadores sacaram 1,8 bilhão, informou a Caixa, seja em agências, caixas eletrônicos ou lotéricas. Outros 2 bilhões de reais foram depositados automaticamente nas contas de quem é cliente do banco. Desde esta sexta-feira, 4,8 milhões de trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro podem ter acesso ao saldo de suas contas inativas no FGTS. Mesmo com algumas agências abrindo às 8h, grandes filas se formaram ao longo do dia. De acorod com a Veja, apesar de alguns relatos de lentidão nos sistemas, o vice-presidente de Tecnologia da Caixa, José Antônio Eirado, afirmou neste sábado que os problemas foram pontuais, sendo rapidamente corrigidos. “Devido à carga, uma ou outra agência teve tempo de resposta um pouco ruim, mas tivemos gente de plantão o dia todo para arrumar esses problemas, para que pudéssemos abrir hoje sem eles”, disse.

MP-BA anuncia corte de gastos com fiscalizações e outras atividades

11 Mar 2017 - 08h30

O Ministério Público da Bahia (MP-BA) anunciou um corte de gastos para o exercício 2017. Conforme o órgão, a medida foi tomada para otimizar os recursos e garantir a atuação MP-BA e levou em conta o atual quadro econômico do país. Na decisão, publicada no Diário de Justiça Eletrônico desta quinta, a procuradora-geral de Justiça Ediene Lousado, determina redução, contenção e controle de gastos com custeio e investimento para este ano. Entre as ações estão contingenciamento de 20% no orçamento inicial de todas unidades gestoras da instituição, além da redução de 10% nas despesas com perícias, atividades periciais e fiscalizações, atividades feitas em diversas áreas por profissionais que integram a Central de Apoio Técnico (Ceat) do MP-BA. Segundo o órgão, despesas obrigatórias, como folha de pagamento, e provenientes de convênios celebrados não sofrerão cortes. Segundo o Ministério Público, todas as unidades do órgão deverão reduzir em 10% despesas com contas de consumo (água, energia e telefonia); em 15% com serviços de postagens, reprografia e passagens terrestres; em 25% com diárias e passagens aéreas; em 30%, entre outras, com cursos, consultoria, publicidade, material de consumo, aquisição de equipamentos tecnológicos, informacionais e de comunicação, e em 50% despesas com aquisição de livros e revistas técnicas. O MP-BA informou ainda que suspendeu, entre outras despesas, gastos decorrentes de novas aquisições de veículos, de celebração ou aditamento de contratos de locação de imóveis e de remarcações de passagens aéreas que impliquem aumento dos custos do órgão.