Brumado Notícias

Brumado Notícias

Resultado da busca pela categoria "economia"

Inflação tem a menor alta em fevereiro desde 2000

10 Mar 2017 - 13h30


Inflação tem a menor alta em fevereiro desde 2000
Foto: Marcus Martins

A inflação oficial, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) perdeu força de janeiro para fevereiro, passando de 0,38% para 0,33%, segundo divulgou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira (10). Essa taxa é a mais baixa para o mês desde 2000, quando chegou a 0,13%. Em 12 meses, o IPCA desacelerou para 4,76%, ficando mais próximo da meta de inflação do Banco Central, de 4,5%. Segundo o IBGE, em janeiro, para o mesmo período, o índice havia ficado em 5,35%.

Mais de R$ 3.3 milhões de FGTS inativos poderão ser sacados na região de Brumado

10 Mar 2017 - 10h00


Mais de R$ 3.3 milhões de FGTS inativos poderão ser sacados na região de Brumado
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

A expectativa é de grande movimentação nas agências da Caixa Econômica Federal em todo país, nos próximos dias, com o início dos saques dos FTGS inativos que foram liberados pelo governo federal. Para a região de Brumado, que agrega ainda os municípios de Aracatu, Maetinga, Presidente Jânio Quadros, Malhada de Pedra e Guajeru, cerca de 7500 pessoas poderão sacar o benefício. O montante geral de saques previstos até junho deste ano é de mais de R$ 3.390 milhões. A maior parcela ficará na cidade de Brumado, que conta com cerca de 5.400 beneficiários.

Bancos terão que registrar carros e imóveis dados como garantias, decide Banco Central

10 Mar 2017 - 08h30

O Banco Central autorizou na quinta-feira (9) a BM&FBovespa, a Cetip e o Serasa a criarem um sistema para registrar operações de crédito que tenham imóveis urbanos e veículos como garantia. Com essa decisão do BC, a partir do dia 31 de outubro, os bancos terão que registrar em um dos três sistemas todos os dados de imóveis e veículos dados como garantia de empréstimos e financiamentos. De acordo com o G1, esses dados vão incluir, por exemplo, avaliação do imóvel, nome do comprador, nome do vendedor e valor do financiamento. A criação do sistema foi autorizado em 2012 por uma resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN). 

Produção de motos cai 5,4% em fevereiro, diz Abraciclo

09 Mar 2017 - 16h30


Produção de motos cai 5,4% em fevereiro, diz Abraciclo
Foto: Divulgação

A produção de motos no Brasil teve queda de 5,4% em fevereiro de 2017, informou a associação dos fabricantes (Abraciclo), nesta quinta-feira (9). De acordo com a entidade, foram produzidas 67.319 motos no mês, número menor que as 71.137 unidades do mesmo período em 2016. Comparando com janeiro, que alcançou 81.646 motos, a queda foi ainda maior, de 17,5%. De acordo com o G1, no entanto, a associação aponta leve alta de 1,3% no primeiro bimestre do ano, chegando ao acumulado de 148.965 unidades. “O mercado de motocicletas ainda sofre com a falta de confiança do consumidor diante do contexto econômico nacional e a retração na oferta de crédito. De qualquer forma, a entidade mantém diálogo com instituições financeiras públicas a fim de buscar alternativas de financiamentos para estimular as vendas de motocicletas”, disse Marcos Fermanian, presidente da Abraciclo, em comunicado.

Brumado: Decreto dispõe sobre retenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza

09 Mar 2017 - 08h00


Brumado: Decreto dispõe sobre retenção do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

Publicado no Diário Oficial do Município, na última quarta-feira (8), o Decreto 4.957, de 07 de Março de 2017, revoga o Decreto 4.785, de 28 de julho de 2015, que dispõe sobre retenção do imposto sobre serviços de qualquer natureza - ISSQN junto ao contribuinte prestador do serviço, bem como sobre seu recolhimento à administração pública do município de Brumado. O prefeito levou em consideração que não há necessidade de regulamentação dos dispositivos estabelecidos no art. 188 da Lei Complementar 02/2006 – Código Tributário Municipal, que trata da retenção e recolhimento do ISSQN, por tomadores de serviços qualificados como substitutos tributários.

Subsídio para gás de cozinha será reduzido e preço deve subir

07 Mar 2017 - 17h30


Subsídio para gás de cozinha será reduzido e preço deve subir
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

O preço do gás de cozinha vai subir. A Petrobras prepara um reajuste que poderá ter impacto no preço final do botijão de gás. O entendimento é de que, após vários anos de uma política de subsídio que manteve o preço do gás da estatal sem aumento, o mercado acabou fazendo seus reajustes por conta própria, impactando o consumidor final. O histórico dos reajustes mostra que, entre 2003 e 2016, o preço final do gás cobrado pelas revendedoras acumulou reajuste médio de 89%, saltando de R$ 29,35 para R$ 55,60. Neste período, o aumento realizado pela estatal foi de apenas 16,4%. Foram 12 anos sem nenhum reajuste no preço do gás vendido pela Petrobras. Somente em 2015 é que viria o primeiro aumento pela estatal, de 15%. No mesmo ano, o aumento repassado pelas revendedoras ao consumidor chegou a 22,6%. No ano passado, a estatal fez um novo aumento, de 1,4%, ante 2,1% feito pelo mercado.

Produção de veículos sobe 15% em fevereiro, mas vendas caem

07 Mar 2017 - 15h30


Produção de veículos sobe 15% em fevereiro, mas vendas caem
Foto: Vanderlei Almeida/AFP/Veja

A indústria brasileira de veículos teve alta de 14,7% na produção de em fevereiro sobre janeiro e de 39% sobre fevereiro do ano passado, informou nesta terça-feira a associação que representa as montadoras, Anfavea. Porém, as vendas de veículos novos somaram 135.665 unidades em fevereiro, uma queda de 7,8%  sobre janeiro, e recuo de 7,6% na comparação anual. Segundo especialistas, se o aumento de produção não é seguido pela alta nas vendas, pode haver devolução dos estoques por parte das concessionárias. “A produção no começo do ano surpreendeu muito positivamente, mas havia a expectativa que as vendas acompanhariam essa alta”, diz Flávio Castelo Branco, gerente executivo de política econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI). De acordo com a Veja, o setor automotivo é um dos que mais emprega e tem grande impacto na economia como um todo, por integrar diversos fornecedores. De acordo com dados da Anfavea, o número de funcionários nas empresas do setor era de 104.50. A produção em fevereiro totalizou 200.385 carros, comerciais leves, caminhões e ônibus. No primeiro bimestre, a produção acumula alta de 28,1% sobre o mesmo período de 2016, para 375.098 unidades. No primeiro bimestre, as vendas de novos foram de 282.884 veículos, 6,4% menos que um ano antes.

Em dois anos, população brasileira empobrece 9,1%

07 Mar 2017 - 14h30


Em dois anos, população brasileira empobrece 9,1%
Foto: Paulo Whitaker/Reuters

O PIB per capita – divisão do PIB pelo número de habitantes – caiu 4,4% em 2016, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Em 2015, o PIB per capita havia caído 4,6%, para uma queda do PIB de 3,8%. Com isso, de 2014 a 2016 o PIB per capita sofreu uma retração de 9,1%. No mesmo período, a população cresceu 0,9% ao ano. “A população empobreceu”, disse a coordenadora de Contas Nacionais do IBGE, Rebeca Palis. Para ela, a queda de 9,1% é “bastante relevante”. “Nos três últimos anos, como a população continuou crescendo, a queda do PIB per capita amplificou. O bolo encolheu e a quantidade de pessoas aumentou. Tem que colocar muita água no feijão”, afirmou ela. A economia brasileira caiu 3,6% em 2016 em relação ao ano anterior. Com dois anos seguidos de retração, esse é o pior desempenho negativo da economia – superando as quedas vistas em 1930 e 1931 – e foi registrado em todos os setores. As informações são da Veja.

Poupança perde R$ 1,67 bi em fevereiro

07 Mar 2017 - 11h30

A caderneta de poupança continuou perdendo recursos em fevereiro de 2017, mas num volume bem menor que o registrados no mês nos últimos dois anos. Segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta segunda-feira (6), as retiradas da poupança superaram os depósitos em R$ 1,67 bilhão em fevereiro. Em fevereiro de 2015 e de 2016, a mais tradicional modalidade de investimentos do país havia perdido, respectivamente, R$ 6,26 bilhões e R$ 6,63 bilhões. O resultado do mês passado foi o melhor, para meses de fevereiro, desde 2014 - quando a poupança registrou ingresso de R$ 1,85 bilhão. No acumulado do primeiro bimestre de 2017, a poupança registrou perda de R$ 12,4 bilhões. Em igual período do ano passado, a retirada foi de R$ 18,67 bilhões. Em todo ano de 2016, R$ 40,7 bilhões deixaram a poupança. O resultado foi o segundo pior da série histórica, que começa em 1995, atrás apenas de 2015, quando saíram da poupança R$ 53,5 bilhões. De acordo com o G1, a saída de recursos da caderneta de poupança acontece em um momento de baixo nível de atividade econômica, com aumento do desemprego e inadimplência em patamar elevado. Além disso, a poupança também tem registrado baixo rendimento frente a outras aplicações financeiras.

Relator da reforma da Previdência defende idade mínima de 65 anos

07 Mar 2017 - 10h30


Relator da reforma da Previdência defende idade mínima de 65 anos
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

O relator da proposta da reforma da Previdência, deputado federal Arthur Maia (PPS-BA), defendeu a idade mínima de 65 anos para a aposentadoria. “Não dá para pensar em não ter idade mínima de 65 anos de jeito nenhum”, disse Maia, ao deixar o Ministério da Fazenda, em Brasília, após reunião com o ministro Henrique Meirelles. De acordo com a Veja, o relator informou que apresentou ao ministro as demandas de parlamentares e pediu que fossem feitas “contas” para analisar eventuais alterações no texto enviado pelo governo ao Congresso Nacional. Segundo Maia, estão em discussão as regras de transição, o fim da aposentadoria especial para policiais, a cobrança de contribuição de trabalhadores rurais, o aumento da idade para receber o Benefício de Prestação Continuada (BPC) e a desvinculação do salário-mínimo, além do acúmulo de aposentadoria e pensão. O deputado voltou a defender um “aprofundamento melhor” das regras de transição. Para Maia, a regra enviada para análise do Congresso é “muito abrupta”.

Caixa funcionará este sábado para saques do FGTS

06 Mar 2017 - 14h30


Caixa funcionará este sábado para saques do FGTS
Foto: Monica Imbuzeiro/O Globo

Na expectativa de um volume muito grande de saques das contas inativas do FGTS, a Caixa Econômica Federal vai abrir as portas de 1.840 agências no próximo sábado (11). Das 4,2 mil unidades de atendimento, a instituição escolheu as agências com o maior número de clientes para prestar atendimento no dia 11 deste mês, apenas um dia após o início do prazo para o resgate dos recursos. O funcionamento das agências no sábado será exclusivo para atender trabalhadores que querem sacar o dinheiro das contas inativas. A retirada está liberada para quem pediu demissão ou foi demitido por justa causa até 31 de dezembro de 2015. O atendimento será feito das 9 horas às 15 horas. Além do próximo sábado, está prevista a abertura das unidade também nos 13 de maio, 17 de junho e 15 de julho. A partir de sexta-feira, poderão sacar o dinheiro os cotistas do fundo que nasceram em meses de janeiro ou fevereiro. De acordo com o cronograma do governo, até o dia 31 de julho todos os trabalhadores terão o direito de fazer o resgate das contas inativas. No dia 10 de abril, a Caixa liberará os saques para trabalhadores nascidos em março, abril e maio. A partir de 12 de maio, será a vez de quem nasceu em junho, julho e agosto. Já no dia 16 de junho, o resgate será permitido para pessoas de setembro, outubro e novembro. Quem nasceu em dezembro, só poderá fazer a requisição do fundo de garantia no dia 14 de julho. Ao todo, há 49,6 milhões de contas inativas que podem ter os recursos sacados. Juntas, elas têm um saldo de R$ 43,6 bilhões. As informações são do jornal O Globo.

Inflação deve ser a menor desde 2000 em serviços

06 Mar 2017 - 12h30

O último grupo de preços a resistir à crise vai ceder de vez em 2017. Segundo projeção da consultoria Tendências, a inflação de serviços vai fechar o ano no menor patamar dos últimos 17 anos. A consultoria estima que a taxa ficará em 4,2%, forte desaceleração em relação aos 6,48% de 2016, segundo cálculo do Banco Central com base em 34 itens do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). De acordo com o jornal o Globo, se confirmada a previsão, será o menor número desde 2000, quando ficou em 3,12%. A resistência da inflação de serviços intrigou economistas durante os dois anos de recessão. Em tese, os preços devem ceder em momentos de atividade econômica fraca, por causa da demanda menor. Mas fatores como o alto custo de salários e o esforço feito pelo brasileiro para não abrir mão de alguns serviços seguraram os preços elevados. A história começou a mudar no ano passado. A taxa de 6,48% de 2016 já representou uma desaceleração frente a 2015, quando chegou a 8,09%. A nova queda esperada para 2017 completará o ciclo.

Mercado de trabalho fecha mais 40,8 mil vagas com carteira

04 Mar 2017 - 12h30


Mercado de trabalho fecha mais 40,8 mil vagas com carteira
Foto: Nelson Almeida/AFP

O número de empregos formais no Brasil recuou em 40.864 vagas em janeiro deste ano, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério do Trabalho. O resultado no ano é o saldo de 1.225.262 admissões e de 1.266.126 desligamentos no período, na série com ajustes sazonais. Em janeiro de 2016, foram demitidas a mais que contratadas 99.694 pessoas. Entre os setores, as maiores quedas foram registradas em comércio (60.075 vagas a menos) e serviços (9.525). E os segmentos que mais contrataram em janeiro foram a indústria da transformação (17.501 postos a mais) e agricultura (10.663). Em relação à indústria, o resultado mostra uma situação diferente da vista em janeiro do ano passado, quando foram encerradas 16.553 vagas. O aumento do saldo do emprego no setor neste mês foi concentrado em nove dos doze subsetores que compõem a atividade industrial, segundo o Caged. O Ministério do Trabalho destaca que, apesar da redução nos empregos na construção civil, o ritmo menor que no ano passado chama a atenção. “O saldo (-775 postos) mostrou uma retração menor se comparado aos resultados de janeiro de 2016 (-2.588)”, diz o texto do Caged. Esta é a menor queda mensal para o setor desde o seu último resultado positivo, em fevereiro de 2013. As informações são da Veja.

Horário de verão gera economia de R$ 159 milhões ao país

04 Mar 2017 - 08h30


Horário de verão gera economia de R$ 159 milhões ao país
Foto: Reprodução

O horário de verão, que começou no dia 16 de outubro de 2016 e terminou em 19 de fevereiro de 2017, proporcionou uma economia de R$ 159 milhões ao país - consequência da redução do acionamento de usinas térmicas no período. Embora tenha ficado abaixo do número do ano passado, que chegou a R$ 162 milhões, o índice foi mais alto que o previsto pelo governo federal. A estimativa era de R$ 147,5 milhões. No Sistema Sul, houve uma redução de 4,3% na demanda no horário de pico - entre 18h e 21h. No Sistema Sudeste/Centro-Oeste, essa redução foi equivalente ao atendimento da metade da carga da cidade do Rio de Janeiro nesse horário.

Banco Central pode acelerar ritmo de corte de juros

03 Mar 2017 - 07h30


Banco Central pode acelerar ritmo de corte de juros
Foto: Reprodução

O Banco Central indicou nesta quinta-feira (2) que pode acelerar o ritmo de corte dos juros. Na ata divulgada sobre a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) feita na semana passada, a autoridade monetária reforça que as expectativas de inflação estão ancoradas - tanto para 2017 quanto para 2018. De acordo com o jornal O Globo,na avaliação de analistas, o BC deve acelerar a redução de juros. Os bancos Safra e Fibra já preveem corte de um ponto percentual na próxima reunião, dos atuais 12,25% para 11,25%. Na semana passada, o BC manteve o ritmo de redução da taxa básica de juros da economia e cortou a Selic de 13% para 12,25% ao ano. A decisão foi tomada por unanimidade.

FGTS: Dependentes podem sacar contas de quem morreu

02 Mar 2017 - 10h30


FGTS: Dependentes podem sacar contas de quem morreu
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Famílias de trabalhadores que morreram podem sacar o dinheiro depositado na conta inativa do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). O saque é permitido para beneficiários de trabalhadores que morreram antes da edição da medida provisória 763, de 23 de dezembro de 2016. De acordo com a Veja, para sacar o dinheiro é necessário apresentar a carteira de trabalho do titular da conta, além da identidade do sacador ao solicitar o resgate junto à Caixa Econômica Federal (CEF). Sérgio Schwartsman, advogado trabalhista, diz que um dos motivos que dão direito ao saque do FGTS é a extinção do contrato de trabalho. Segundo ele, a morte do trabalhador leva à extinção desse contrato. Nesses situações, quem fica com o dinheiro depositado na conta são seus dependentes, como mulher e filhos. Para comprovar direito ao dinheiro depositado, Schwartsman  diz que os dependentes precisam ir até o INSS e pedir uma certidão comprovando que é beneficiário do trabalhador morto. O advogado diz que o saque pode ficar complicado se entre os dependentes houver menores de idade. “Em casos assim, é comum que se determine que o dinheiro fique depositado em uma conta que será liberada só quando os beneficiários atingirem a maioridade”.

Estimativa de inflação cai pela 8ª vez seguida

01 Mar 2017 - 16h30

Os analistas das instituições financeiras reduziram a estimativa de inflação para este ano, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 4,43% para 4,36%. Foi a oitava redução seguida do indicador. As expectativas dos analistas do mercado financeiro foram coletadas pelo Banco Central na semana passada e divulgadas nesta quarta-feira (1º) por meio do relatório de mercado, também conhecido como Focus. Mais de cem instituições financeiras foram ouvidas. Com isso, o mercado financeiro manteve a expectativa de que a inflação em 2017 ficará abaixo da meta central para ano, que é de 4,5%. A meta de inflação é fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e deve ser perseguida pelo Banco Central, que para isso eleva ou reduz a taxa de juros (Selic). De acordo com o G1, a meta central de inflação não é atingida no Brasil desde 2009. 

Dívida menor do setor privado reflete queda de investimentos

01 Mar 2017 - 15h30


Dívida menor do setor privado reflete queda de investimentos

A redução do endividamento do setor privado está diretamente atrelada à redução do crescimento. Um relatório feito pelo Departamento de Pesquisa e Estudos Econômicos do Bradesco avaliou o processo de diminuição do endividamento do setor privado em 20 países. Resultado do estudo mostrou que a redução da dívida coincidiu com uma forte queda no volume de investimentos e no Produto Interno Bruto (PIB). De acordo com o Estadão Conteúdo, no Brasil, os primeiros sinais de redução do endividamento já apareceram. Entre 2015 e 2016, a dívida do setor privado (não financeiro) caiu de 75,4% para 70,1% do PIB. Usando os parâmetros dos demais países, se continuar nesse ritmo, durante três anos, o país cresceria 1,9 ponto porcentual abaixo da média do período de crescimento econômico e expansão do crédito. Ou seja, o avanço do PIB passaria de uma média de 3,8% para algo em torno de 1,9%. Segundo a economista Daniela Cunha de Lima, responsável pelo relatório, um dos pontos que ajudaram os demais países que passaram por períodos de redução do endividamento foi o corte nos juros. “Nos locais onde houve a flexibilização da política monetária, o crescimento do PIB não foi tão afetado”.

Crédito para famílias supera pela 1ª vez o dado às empresas

01 Mar 2017 - 12h30


Crédito para famílias supera pela 1ª vez o dado às empresas
Foto: Veja

Pela primeira vez na história, a participação das empresas na carteira de crédito do país ficou menor que o das famílias brasileiras. A mudança no mix de empréstimos e financiamentos no sistema bancário foi provocada por dois fatores diferentes. De um lado, estão as empresas com elevada capacidade ociosa que pararam de buscar crédito no mercado. Do outro, estão as companhias inadimplentes, que precisam se financiar – ou rolar dívidas – e não conseguem aprovação dos bancos. Levantamento feito pelo pesquisador do Ibre/FGV e professor do Instituto Brasiliense de Direito Público, José Roberto Afonso, com dados do Banco Central (BC), mostra que a inversão das posições ocorreu pela primeira vez em dezembro e se manteve em janeiro. No último mês de janeiro, 50,93% da carteira total de crédito referia-se a empréstimos e financiamentos para pessoa física e 49,07%, para empresas. De acordo com a Veja, em janeiro de 2016, esses porcentuais eram de 47,38% e 52,62%, respectivamente.

Prazo para declarar o IR começa nesta quinta (02)

01 Mar 2017 - 11h30


Prazo para declarar o IR começa nesta quinta (02)
Foto: Michel Filho/Agência O Globo

Chegou a hora de acertar as contas com o Leão. Começa amanhã, dia 2 de março, o prazo de entrega da declaração do Imposto de Renda 2017 (ano-base 2016). O documento precisa ser enviado à Receita Federal por pessoas físicas que obtiveram rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70 no ano passado. O Fisco espera receber 28,3 milhões de declarações até o dia 28 de abril. Este ano, a Receita fez algumas alterações no programa do IR, que pode ser obtido pela internet no endereço http://rfb.gov.br. Uma das mudanças é a atualização automática do programa. Isso significa que, depois de baixado, se a Receita fizer algum ajuste no serviço, o programa vai perguntar ao contribuinte se ele quer fazer a atualização. Antes, isso não era avisado. Além disso, não será mais preciso baixar o programa de transmissão da declaração, conhecido como Receitanet. O contribuinte só precisará fazer um download. Outra novidade é a recuperação de nomes. Quando o contribuinte colocar o nome e o CPF na declaração, esse dado ficará armazenado para facilitar o preenchimento de outros campos. Também haverá mudanças na tela de identificação. De acordo com o jornal Extra, o programa vai passar a pedir, de forma não obrigatória, um número de celular e um e-mail. Segundo a Receita, isso servirá para ampliação do cadastro. O eventual uso dos dados pelo Fisco só poderá ocorrer se houver autorização das pessoas físicas.

Petrobras reduz preço do diesel em 4,8% e da gasolina em 5,4%

25 Fev 2017 - 10h00


Petrobras reduz preço do diesel em 4,8% e da gasolina em 5,4%

A Petrobras anunciou nesta noite desta sexta-feira que decidiu reduzir o preço médio da gasolina cobrado nas refinarias em 5,4%, e do diesel em 4,8%. Os novos valores começam a ser aplicados a partir do sábado. Se o ajuste for integralmente repassado e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, a gasolina deve cair em média 2,3%, ou cerca de 9 centavos por litro, e o diesel 3%,  também 9 centavos. A empresa começou em outubro a fazer uma revisão, pelo menos uma vez a cada 30 dias, dos preços de venda dos seus combustíveis às distribuidoras. De acordo com a Veja, na última alteração, em 26 de janeiro, as reduções para a gasolina e do diesel foram de 1,4% e 5,1%, respectivamente. Porém, como os postos têm liberdade para decidir o valor cobrado, nem sempre os descontos no preço são repassados ao consumidor.

Conta de luz terá cobrança extra em março, diz Aneel

25 Fev 2017 - 09h30


Conta de luz terá cobrança extra em março, diz Aneel

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou na sexta-feira (24) que os consumidores de energia voltarão a pagar taxa extra na conta de luz em março. A bandeira tarifária estava verde desde dezembro, ou seja, sem cobrança extra na conta. Isso porque, no próximo mês, estará em vigor a bandeira tarifária amarela, o que significa a cobrança de R$ 2 a cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. “No mês de março a previsão das vazões que chegam nos reservatórios das hidrelétricas ficou abaixo da expectativa anterior, o que levou a indicação de maior geração termelétrica como medida para preservar os níveis de armazenamento e garantir o atendimento à carga do sistema”, informou a agência. De acordo com o G1, o sistema das bandeiras tarifárias criou uma cobrança extra nas contas de luz que é aplicada sempre que o custo de geração de energia no país sobe. Isso acontece quando é necessário ligar mais usinas termelétricas, que geram energia mais cara.

Desemprego atinge cerca de 13 milhões de pessoas, diz IBGE

24 Fev 2017 - 18h30

A taxa de desemprego registrada no trimestre móvel encerrado em janeiro foi de 12,6%, a maior já registrada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Essa taxa representa um crescimento de 3,1 pontos percentuais em relação ao trimestre móvel do ano anterior, novembro de 2015 a janeiro de 2016 (9,5%). A população desocupada ao final de janeiro foi estimada em 12,9 milhões de pessoas, uma expansão de 34,5% na comparação com igual trimestre do ano anterior – mais 3,3 milhões de pessoas sem emprego. De acordo com a Veja, a população ocupada soma 89,9 milhões de pessoas, um declínio de 1,9% em relação ao trimestre móvel de novembro de 2015 a janeiro de 2016 - menos 1,7 milhão de pessoas ocupadas. O número de empregados com carteira assinada caiu 3,7% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo 33,9 milhões de pessoas. O rendimento médio real no trimestre encerrado em janeiro foi de R$ 2.056, representando uma estabilidade frente a igual período do ano anterior.

Movimento no comércio é bom nesta sexta-feira (24) em Brumado

24 Fev 2017 - 14h00


Movimento no comércio é bom nesta sexta-feira (24) em Brumado
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

Mesmo sem os festejos de carnaval, a movimentação foi boa na manhã desta sexta-feira (24), no comércio de Brumado. Muitos foliões preferiram fazer suas compras no comércio local antes de seguir viagem para as cidades vizinhas, onde pretendem curtir a festa de largo. Alguns optaram em economizar comprando alimentos, bebidas e até vestuário no município, ao invés de gastar fora com tais itens, pois alegam que, no período carnavalesco, os produtos ficam mais caros nas cidades onde acontecem as festas. “Na verdade, economizamos mais aqui com as coisas de casa para podermos gastar um pouco mais lá no meio da folia. Não que gastamos ou consumimos mais por lá, mas é para equilibrar os preços mais elevados da cerveja, refrigerante e guloseimas, além do aluguel ou hospedagem”, comentou o folião Binho Silva ao site Brumado Notícias. Já sua irmã, Mara Silva, questionou a não realização do carnaval na capital do minério. “O lamentável é que nossas autoridades administrativas não se sensibilizam que a cidade não vive só de obras, o lazer também faz parte do bem estar da população. A visão distorcida de que a diversão é algo supérfluo acaba tirando esse extra que seria depositado na rede hoteleira, no comércio ambulante, supermercados, etc”, destacou.

Bancos fecham no carnaval e só reabrem na quarta de cinzas

24 Fev 2017 - 13h30


Bancos fecham no carnaval e só reabrem na quarta de cinzas
Foto: Lay Amorim/Brumado Notícias

As agências bancárias estarão fechadas para atendimento ao público na segunda-feira (27) e na terça-feira (28). Já na quarta-feira de cinzas (1º de março), os bancos abrirão ao meio-dia. Segundo a Febraban, a população pode utilizar os canais eletrônicos e correspondentes para o pagamento das contas. Além disso, os tributos que possuem código de barras podem ter o seu pagamento agendado nos caixas eletrônicos, no internet banking e pelo atendimento telefônico do banco. Já os boletos bancários de clientes cadastrados como sacados eletrônicos poderão ser pagos via Débito Direto Autorizado. As contas de consumo (água, energia, telefone etc) e carnês que vencerem nos dias 27 ou 28 poderão ser pagas sem acréscimo na quarta-feira (1º). Normalmente, os tributos já vêm com datas ajustadas ao calendário de feriados nacionais, estaduais e municipais. Caso isso não tenha ocorrido no documento de arrecadação, a Febraban sugere antecipar o pagamento.