Brumado Notícias

Brumado Notícias

Rio do Antônio: Profissionais da Saúde insatisfeitos com a Administração Municipal

30 Jun 2013 - 10h23


Rio do Antônio: Profissionais da Saúde insatisfeitos com a Administração Municipal
Os profissionais da saúde do Distrito de Ibitira vão realizar um manifesto em forma de protesto. (Foto: Google Imagens).

Descontentes com o tratamento que vem sendo dado à saúde no distrito de Ibitira, em Rio do Antônio, no sudoeste baiano, os profissionais que atuam na área estão se organizando para protestar contra a situação. “Nós queremos melhoria da saúde pública e nossos direitos trabalhistas garantidos”, afirmam. De acordo com eles, as reclamações são muitas. A primeira da lista deles é o caso dos PSF´s (Postos de Saúde da Família), que na cidade existem dois, mas apenas um tem atendimento médico. E em ambos os Postos, não há atendimento odontológico, embora os profissionais declarem ter funcionários para tal. “No PSF 2 tem dentista efetivo, com consultório equipado, mas não tem atendimento. No PSF 1 não há sala para específica, nem equipamento, mas uma dentista já foi lotada para a unidade. A população não tem assistência odontológica e nenhuma explicação é dada sobre isso”, declararam. Outra reclamação deles é quanto à segurança, já que no último dia 24 de junho um usuário do Posto ameaçou a vida de uma médica e danificou o patrimônio público. “Essa não foi a primeira vez, uma técnica de enfermagem também já foi agredida. Por isso muitos de nós temem fazer plantões noturnos”, explicaram os protestantes. Eles ainda informaram ao site Brumado Notícias que faltam equipamentos adequados e suficientes para procedimentos básicos. E na questão trabalhista também há reivindicações, pois, segundo os profissionais, eles não recebem insalubridade, adicional noturno e nem o 1/3 de férias. “Existem concursados no município para 40 horas semanais que só cumprem 30 horas ou até menos, exceto na área de saúde, que cumprem o horário sem vantagem alguma. Isso é um descaso com a saúde pública”, indignaram-se. Os profissionais da saúde de Ibitira não nos informaram quando irão protestar, mas garantiram que será em breve.

Comentários
30 Jun 2013
Daniela Farias
Caro comentarista, acho que está esquecendo de um detalhe muito importante, pois no PSF 2 de Ibitira já não tem atendimento médico há mais de dois meses e esses especialistas que você cita, já tinha no município anterior a essa gestão. As 40 horas devem ser cumpridas sim, mas desde que todos os funcionários cumpram sem exceção, pois todos são iguais tendo o mesmo direito e dever perante a lei. Enquanto a chefia cobra 40 horas dos funcionários, o dinheiro que deveria ser pago com insalubridade, adicional noturno, terço de ferias, é gasto com cargos de confiança, pois é muito chefe para nada fazer. E a pergunta fica, onde esses funcionários que tem cargo de confiança estão cumprindo esta carga horária?
30 Jun 2013
José Maria
A insatisfação dos profissionais da saúde do distrito de Ibitira, vem a público após uma reunião realizada em 29 do corrente ocasião em que o secretário de saúde exigir de eles cumpram a carga horária de 40 horas semanais, conforme determinação legal, ocorre que eles não querem trabalhar e continuar no bem bom. Como antes, esqueceram que em Ibitira hoje conta com atendimento médico 24 horas de segunda a segunda, o que antes não tinha, esqueceram ainda que em apenas 6 meses de administração muito já foi feito: 2 ambulâncias novas adquiridas com recursos próprios e diversos benefícios. O certo é que hoje todos tem atendimento médico sem contar com as diversas outras assistências especializadas medias: Urologista, cardiologista, pediatria, ortopedista, ginecologista, otorrino, e outros serviços especializados.